domingo, março 31, 2013

Pois

Quando nasceu a minha primeira filha, estava eu em absoluta adoração natalícia poucas horas após o parto, uma pessoa comentou assim o meu potencial profissional: " Aviso-te: a partir de agora acabou-se tudo". Tudo, queria a fada-madrinha referir-se  ao meu hipotético êxito profissional. Na altura pasmei. Ninguém se atreveria a dizer isso a um jovem pai no início de uma carreira promissora. Ingénua como era e sempre serei, achei o contrário - ter filhos é sempre uma mais-valia profissional pois torna as pessoas, qualquer que seja a sua profissão, mais motivadas, mais eficazes e mais em contacto com a realidade.

sábado, março 30, 2013

De qualquer forma a tristeza significa que estamos vivos.
Presumo que a morte é a ausência absoluta da  tristeza.

A vida dos outros

Depois de um aniversário triste e de um natal triste fui brindada com uma triste páscoa.

O escândalo

Entretanto os rad trads rasgam as vestes com gestos de um "papa protestante". O papa Francisco lavou os pés a duas mulheres, melhor dizendo a duas raparigas. Um papa a lavar os pés ao mulherio, essa espécimen sub humana é algo nunca visto em dois milénios da história da igreja.
Os gordalhufos vestidos de rendinhas e vertidos de cetim rosado, desmaiam.

terça-feira, março 26, 2013

O buraco da agulha

Parece que o papa Francisco incomoda verdadeiramente os ricos. Há um rufar de escândalo farisaico e maledicência em volta de cada um dos seus gestos.  O facto de os ricos  se sentirem tão incomodados ou perturbados com os seus gestos de simplicidade evangélica diz tudo sobre a sua genuidade. A pobreza por opção pessoal, a pobreza por opção pelos outros,  escandaliza.
A questão central do Evangelho é o desapego face aos "bens materiais". E isto não tem a ver com o montante da conta bancária.
O buraco da agulha,  a dificuldade extrema é esta - como pode um rico (de poder, de dinheiro, de narcisismo pueril, de orgulho intelectual) descentrar-se de si mesmo?

sábado, março 23, 2013

Portugal dos pequeninos

"No dia em que mor­reu Óscar Lopes, a pre­ocu­pação maior de parte sig­ni­fica­tiva dos por­tugue­ses foi o fait-divers da con­tratação de José Sócrates como comen­ta­dor político da RTP. Na cos­tumeira «men­sagem de pesar» envi­ada à família do filól­ogo e mestre maior da lín­gua pátria, o dr. Cavaco Silva refere-se-lhe como «his­to­ri­ador», rel­e­gando para segundo plano a sua obra maior como lin­guista, pro­fes­sor e crítico literário. Compreende-se: Óscar Lopes foi autor, com António José Saraiva, da mais impor­tante História da Lit­er­atura Por­tuguesa. Cavaco, com o seu saber wikipédico de leitor de badanas, limitou-se a somar dois mais dois.O país real, tão inculto como quem o dirige, não deu por nada, é claro. A pop­u­laça mais sim­ples, tal como boa parte da restante, anda demasi­ada­mente ocu­pada a exor­cizar os fan­tas­mas dos natais pas­sa­dos e entretém-se a sub­scr­ever «petições» e a orga­ni­zar autos-de-fé con­tra a pre­sença do ex-primeiro min­istro na pan­talha da tele­visão pública.Enquanto isso, Pas­sos, Rel­vas e Gas­par prosseguem ale­gre­mente na senda da destru­ição metódica dos dire­itos con­quis­ta­dos nas últi­mas qua­tro décadas. É mais fácil cul­par o pas­sado do que lutar pela trans­for­mação do pre­sente. Mesmo que, para isso, se con­trariem os princí­pios bási­cos da con­vivên­cia democrática e se atro­pelem os dire­itos ele­mentares dos cidadãos – todos os cidadãos, mesmo aque­les de que não gosta­mos – como é o caso do dire­ito à livre expressão. Porque, ironi­ca­mente, é disso mesmo que se trata. E Sócrates fará decerto menos mal ao país como comen­ta­dor da actu­al­i­dade política do que como seu pro­tag­o­nista. Mas isso, pelos vis­tos, importa pouco.

Descubra as diferenças


"Há pessoas, acontecimentos e nomes que marcam a vida e que podem mudar a nossa história para sempre. Há pessoas que nos incomodam pela sua coerência, pela sua autenticidade e pela sua alegria.
Penso que o Papa Francisco tem muito a ver com estas pessoas que transformam por dentro as vidas dos outros. Uma simplicidade que é evangelho e um humor que é inteligência fazem do seu dia-a-dia uma permanente ‘surpresa’ para quem estava habituado a ‘outros andamentos’. Não espero grandes mudanças na Igreja mas espero mais evangelho ‘incarnado’."


 Nuno Santos



Ricas invenções

Dizem que é machista.

Ricas Reacções

"Então um tipo é eleito Papa e as 2 primeiras coisas que faz é rebaixar o antecessor, chamando-lhe bispo e depois virar as costas a todos os católicos para ir para a prisão lavar pés a energúmenos?Coitadinhos? os sacanas que vão dentro também são coitadinhos e pobrezinhos e a tradição, o Vaticano e os milhões de fieis que se lixem?Porque o gajo estava habituado a lavar pés na Páscoa e agora a gente que se habitue aos hábitos dele que ainda nem percebeu que foi eleito Papa.Phónix! pôrra, três vezes, que nunca me engano quando me cheira a agit prop de coitadinhos e hipocrisia de falsa humildade.Ou humidade. Deve ser mais humidade de antecipação de cholé de energúmeno.C'um caraças. Antes o preto. esta gente da América Latina é retardada mental.Estou mesmo "phodida".Logo agora que estava a gostar de Papas, o que era genial demite-se e elegem este palhaço. Um jesuíta armado em franciscano.Onde é que já se viu isso. Se queria ser franciscano que enfiasse o capuz. é verdade que me passei com isto porque esta porcaria não é religião- é política e da mais reles- é política escardalha.. A única coisa que vi, até agora, foi merda.A sério. Foi o discurso e a rábula do opositor que preparou todos os detalhes mediáticos para mostrar que era diferente.Das vestes, ao carrinho, ao epíteto e agora ao lava-pés na choldra na Páscoa.Isto não cabe na cabeça de ninguém.De ninguém. Nem sei como deixam.Eu coloquei esperanças demasiadas no Ratzinger e cheguei a imaginar a Igreja a alterar o curso do Mundo.Mas foi burrice minha. o Ratzinger estava velho e não ia ter tempo para muito mais. Só que isto não é nada.Nem é mensagem de nada. Nem novidade nenhuma nem chama ninguém.Isto é até soberba que nem leva a sério o cargo que tem.Porque não é a lavar pés a meliantes, virando as costas a milhões de fiéis, que se dá um exemplo do que quer que seja." 

Lida num caixa de comentários

Os tridentes espumam



quinta-feira, março 21, 2013

O relvismo académico

È para mim um mistério absoluto que alguém que escreve mal  (no sentido estético e técnico do termo ) tenha possibilidades de concluír um doutoramento. Mesmo que seja em física quântica.

Quem é incapaz de organizar um discurso em profundidade não é capaz de organizar pensamento científico.

Ponto.

quarta-feira, março 20, 2013

Uma radiografia

"Das coisas sensatas que pude ler nos dias prévios ao conclave foi um artigo de opinião espanhol onde se dizia que a "conversão" que a Igreja precisava só poderia vir através de alguém que fosse especialista  na intimidade da oração e da liberdade de não ter nenhuma pretensão de poder. A Igreja precisava urgentemente de um papa "frade", um papa que conhecesse e valorizasse o primado da simplicidade, a audácia do anúncio de Cristo, a força e determinação espiritual para reconstruir o rosto ferido da Igreja.
(...) Ninguém esperava um papa pobre mas o milagre chegou a Roma, da forma mais inesperada e discreta. Foi a resposta de Deus a todas as nossas ansiedades e esperanças. ."
Padre Carlos Carneiro

Agora

Estás na periferia do meu coração.

terça-feira, março 19, 2013

Em Roma, agora

Não devemos ter medo da bondade e da ternura.

Em Roma, agora.

Uma mulher proclama  as escrituras de rosto e cabelo descoberto.

Francisco!

Apesar do estertor dos amantes do fausto,  há um movimento de grande alegria e de imensa esperança em toda a cristandade em volta de Francisco. Todas as pessoa que conheço e com quem contacto pessoalmente, novos e velhos, leigos , seminaristas, padres e consagrados, jovens, mães e pais de família, doutores e analfabetos, teólogos católicos e ateus, todos, mas todos mesmo estão encantados com este papa e com o seus gestos de humildade franciscana. Em boa verdade os mais felizes dos meus  amigos são sobretudo os franciscanos. Mas há um sopro de unidade e de esperança na Igreja, uma alegria genuína e tão contagiante como o sorriso de Francisco.
:)

sábado, março 16, 2013

Ser pobre

"É precisa uma grande atenção à verdade, à bondade e à beleza".



É difíci ser pobre de barriga cheia

Reconheço a minha pobreza interior - nem sempre sei ser pobre. 
A maior parte das vezes sou rica, no  mau sentido do termo: chateia-me não poder consumir/possuir certas coisas, irritam-me as minhas limitações existenciais, angustia-me ter recursos limitados, aborreço-me com a impossibilidade de fruir certos bens . Como todos os ricos, tenho alguns  sonhos de omnipotência e poder ( mesmo que seja um poder pequenino e circunscrito a minha geografia existencial). Mas afinal de contas todos os poderes são assim - limitados às circunstâncias de cada pessoa. 
 Como rica, acho-me por vezes superior intelectual e moralmente aos outros. E penso algumas vezes que sou uma tola por ser tão pobre: o que poderia ter conquistado se seguisse sem perturbações de consciência o percurso dos ricos - o carreirismo fácil e florescente , o relvismo académico,  a hipocrisia utilitarista.

sexta-feira, março 15, 2013

O mistério da pobreza

A questão da pobreza versus a riqueza ostensiva ( com a sua carga de pecado, no sentido literal do termo) tem agitado a águas da igreja católica  desde que o cristianismo se tornou a religião oficial ao serviço do império (romano). Francisco de Assis (que passou entre as sombras da  Inquisição tenebrosamente activa na época, mas ocupada a torturar e matar albigenses) afrontou directamente o papa por causa desta opção pela pobreza evangélica. Em Roma, as sandálias do pescador há muito  tinham sido substituídas pela   pornográfica riqueza e pelo poderio político e militar  do Vaticano.
Este encontro entre Inocêncio III  e um místico maltrapilho e sujo teve um estranho desfecho. Consta que o papa,  na véspera,  foi assombrado por um sonho onde viu a Basílica de São João de Latrão quase a ruír , apenas segurada in extremis por um pobre frade andrajoso.
O mistério de igreja católica é este encontro. Num mesmo fio de tempo, face a face, a utopia do misticismo radical versus o pragmatismo do cálculo político e do maquiavelismo doutrinário. De um lado a opulência, o dinheiro,  a tentação diabólica do poder político, a maldade tenebrosa dos criadores da inquisição para defender a pureza da crença. Do outro lado os pobres de espírito, os sedentos e esfomeados de justiça,  os que anseiam por ser saciados, os mansos, os misericordiosos. A igreja evangélica, a luz do mundo, o sal da terra, tem de ser a igreja dos pobres e oprimidos.A igreja das bem-aventuranças, dos puros de coração. Não há outro caminho para a igreja católica de hoje. E isto é especialmente importante num período de crise económica global, em que milhões de pessoas são esmagadas por uma guerra financeira sem sentido. Nunca houve tanta riqueza no planeta. Nunca houve tanta injustiça e desigualdade.
 O grande escândalo de igreja de hoje não é a pedofilia- é a riqueza desbragada, o conluio com o poder económico e a injustiça.
O grande escândalo da igreja de hoje é a falta de compaixão e misericórdia face aos que sofrem.
Por isso o aparecimento deste papa é tão profético.

Francisco, o papado e as touradas

"S. Francisco está diante de nós também como exemplo de inalterável mansidão e de sincero amor para com os animais irracionais que fazem parte da criação. Nele repercute aquela harmonia que é explicada com sugestivas palavras das primeiras páginas da Bíblia: "Deus colocou o homem no jardim do Éden, para o cultivar e o guardar" (Gén 2, 15) e "conduziu" os animais "para o homem, para ver como ele os haviu de chamar" (Gén 2, 19). Em S. Francisco entrevê-se quase uma antecipação daquela paz, indicada pela Sagrada Escritura, quando "o lobo será hóspede do cordeiro, a pantera se deitará ao pé do cabrito; o touro e o leão comerão juntos, e um menino pequeno os conduzirá" (Is 11, 6). Ele contemplava a criação com os olhos de quem sabe reconhecer nela a maravilhosa obra da mão de Deus. A sua voz, o seu olhar, os seus dedicados cuidados, não só para com os homens mas também para com os animais e a natureza em geral, são um eco fiel do amor com que Deus pronunciou no início o "fiat" que os fez existir. Como não sentir vibrar no "Canto das Criaturas" algo da alegria transcendente de Deus criador, do qual está escrito que "contemplou toda a sua obra, e viu que tudo era muito bom" (Gén 1, 31)? Não está talvez aqui a explicação do afectuoso apelativo de "irmão" e "irmã", com que o "Poverello" se dirige a todo o ser criado?A uma semelhante atitude somos chamados também nós. Criados à imagem de Deus, devemos torná-1'O presente no meio das criaturas "como senhores e guardas inteligentes e nobres" da natureza e "não como desfrutadores e destruidores sem respeito algum" (cf. Carta Encíclica Redemptor hominis, 15).A educação ao respeito pelos animais e, em geral, pela harmonia da criação tem, além disso, benéfico efeito sobre o ser humano como tal, contribuindo para desenvolver nele sentimentos de equilíbrio, de moderação, de nobreza e habituando-o a elevar-se "da grandiosidade e beleza das criaturas" à transcendente beleza e grandeza do seu Autor (cf. Sab 13, 5)." 

( Papa João Paulo II).

Poverello

O Papa jesuíta explicou aos cardeais que escolheu o nome de Francisco em honra de  São Francisco de Assis, e não de São Francisco Xavier.

quinta-feira, março 14, 2013

Habemus papam

Bastou a primeira missa, e eis que o Papa Francisco já provocou algumas crises de apoplexia fulminante aos fundamentalistas tridentinos.Por exemplo, para esta missa foi restaurado o “altar novo”, que permite a celebração versus populum. Este altar fora retirado há tempos por Bento XVI, que desde então só celebrava no altar antigo, versus Deum.
A homilia papal  foi proferida, desde o ambão.  Novo escândalo nas hostes do latinório; para falar ao seu povo "Pedro deixou a Cátedra — não nos recordamos de ter visto nem João Paulo II, nem Bento XVI, proferindo sermões desde o ambão". Antes de se mudar definitivamente para o Vaticano, o  papa arrumou as suas malas, pagou pessoalmente a conta da hospedagem e dirigiu-se ao vaticano num carro normal.
Os amantes das plumas, das golas de arminhos, dos BMWs.estolas e purpurinas estão em estado de choque.

Graças a Deus. Deo Gratias.

A benção do papa

"antes de o Bispo abençoar o povo, peço-vos que rezeis ao Senhor para que me abençoe a mim; é a oração do povo, pedindo a Bênção para o seu Bispo."

As missas do papa

O agora papa celebrou esta maravilhosa missa para crianças:

As missas do papa

Pão e trabalho para todos.

Pão e trabalho para todos.

"Para todos… El evangelio dice que Jesús alzó los ojos al Cielo, bendijo los cinco pancitos y los pescados, los partió, los repartieron y "todos comieron hasta saciarse". Que el Padre nos dé el pan nuestro y el trabajo de cada día es una bendición. Pero no sólo es una bendición cuando lo tenemos en la mano; ya desearlo para todos es una bendición. Abrir el corazón y sentir presentes a todos, como hermanos, es una bendición.
Indignarnos contra la injusticia de que el pan y el trabajo no lleguen a todos es una parte de la bendición. Colaborar con otros, partiendo y repartiendo nuestro pan, es la otra parte de la bendición que pedimos"

Francisco I, a esperança

Um papa que reza o pai-nosso com o seu povo, um papa que pede a benção antes de abençoar, um papa dos pobres, um papa jesuíta, um papa crítico da globalização, um papa que apela à compaixão em vez da rigidez doutrinária!. Um papa com gestos e palavras simples, sem latinórios, sem drapeados de púrpura ou golas de arminho. Um papa sorridente!



Visión Siete: Dura crítica del cardenal Jorge Bergoglio

quarta-feira, março 13, 2013

O novo Papa

João Braz de Aviz.

É só fumaça.....

Foto: Mais uma do Tacho Charges para os anais.

è só fumaça....

Foto

Segundo dia de Conclave

" Nous voulons une Église de la bienveillance, ouverte aux Églises particulières, aux cultures et aux religions, une Église mixte et paritaire qui accueille au lieu d’exclure, qui ne fasse pas des sacrements une sanction, qui écoute ses fidèles avant de décréter, qui les nourrisse par la parole au lieu de les infantiliser. On ne construit rien dans la condamnation et la peur. Unissons donc nos forces pour créer dans la joie l’Église de demain."


Conclave des femmes

segunda-feira, março 11, 2013

Primeiro dia de Conclave

As contribuições foram extraordinárias, o diálogo intenso, os consensos tambèm:

Aqui fica o resumo:
"La situation faite aux femmes dans l’Église catholique est non seulement injuste et contre-productive, mais elle est la cause de l’ensemble des maux dont souffre l’Église : absence de sang neuf, asthénie, recul des valeurs morales, méfiance envers l’autre, oubli de ses aspirations. Pourtant, les femmes sont présentes, actives et aimées dans l’Église. Ce sont elles, les petites mains qui font tourner la maison. Mais quand leur donne-t-on la parole?(...)
Nous, les soixante douze, nous avons prié et nous nous sommes écoutées. La grande qualité des contributions a révélé à beaucoup combien la parole des femmes pouvait être forte. Psychologues, aumôniers en hôpitaux psychiatriques, en prison, en soins palliatifs, catéchistes, biblistes, historiennes, théologiennes, religieuses insérées dans des quartiers de grande précarité, toutes ont, d’une manière ou d’une autre, souligné les joies et les blessures de notre société, la complexité du monde moderne, le bonheur de croire, et l’interdépendance qui existe entre tous.
Nous voulons une Église de la bienveillance, ouverte aux Églises particulières, aux cultures et aux religions, une Église mixte et paritaire qui accueille au lieu d’exclure, qui ne fasse pas des sacrements une sanction, qui écoute ses fidèles avant de décréter, qui les nourrisse par la parole au lieu de les infantiliser. On ne construit rien dans la condamnation et la peur. Unissons donc nos forces pour créer dans la joie l’Église de demain.
Au terme de notre conclave, nous retenons quatre propositions :
-Que notre Église se dote d’un observatoire des pratiques de parité dans l’Église. Nous demandons aux catholiques d’exercer leur vigilance sur les positions diplomatiques du Vatican, à propos des femmes.
-Que les femmes, partout où elles le peuvent, avec les hommes qui le veulent, organisent des cercles de silence autour des sièges des conférences épiscopales.
-Que des femmes deviennent diaconesses et cardinales.
-Enfin, parce que l’humour va plus loin que l’humour, nous souhaitons que les hommes d’Église ne portent plus de robe."

domingo, março 10, 2013

O conclave das mulheres

Começou hoje, em paris. Durante a próxima semana irei comentar este Conclave feminino,discussões- resultados, documentos  e o outro, o dos homens. Uma coisa em comum em ambos os conclaves - o uso de saias.

sábado, março 09, 2013

Conclave

Uma Igreja de todos, uma Igreja dos pobres.

Últimas do Conclave

 Mahony ( cardeal americano) descreve no seu blogue as características do futuro Papa que vai eleger.
Esqueceu-se do óbvio - o novo papa não pode ter quaisquer ligações directas ou indirectas ao encobrimento  da pedofilia dentro da Igreja, a escândalos financeiros  ou à protecção do tarado do Maciel e sua seita.
Isto exclui mais de uma dúzia de purpurados,  mesmo que falem seis línguas.

Os portugueses rezam em Roma

Notícias frescas do Conclave

Vai começar Terça-feira.

Milano Angelo Scola  é o nome forte a que emerge como herdeiro natural de Ratzinger. Arcebispo de Milão, Angelo Scola, profundo conhecedor da máquina da cúria, grande defensor do ecumenismo diálogo  inter-religioso.

Odilo Pedro Scherer, S. Paulo Brasil emerge como um nome fortíssimo! Defensor da Teologia da Libertação, tornou-se ainda mais mediático ao colocar uma mulher á frente da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

sexta-feira, março 08, 2013

Notícia frescas do pré-conclave

Walter Kasper, Christoph Scönborn e Péter Erdö exigiram conhecer o conteúdo do relatório da Vaticanleaks, em nome da transparência e da escolha consciente do próximo papa.

Pelas notícias que circulam do que se passa dento de paredes, este será o primeiro conclave online na história da igreja , aberto ao mundo digital e com verdadeiras Vaticanleaks a escorrerem todos os dias para os media.

Tempos interessantes para a igreja.

A propósito da ameaça nuclear da Coreia do Norte

"Nous vivons encore sous le règne de la logique, voilà, bien entendu, à quoi je voulais en venir. Mais les procédés logiques, de nos jours, ne s’appliquent plus qu’à la résolution de problèmes d’intérêt secondaire. Le rationalisme absolu qui reste de mode ne permet de considérer que des faits relevant étroitement de notre expérience. Les fins logiques, par contre, nous échappent.Inutile d’ajouter que l’expérience même s’est vu assigner des limites. Elle tourne dans une caged’où il est de plus en plus difficile de la faire sortir. Elle s’appuie, elle aussi, sur l’utilitéimmédiate, et elle est gardée par lebon sens. Sous couleur de civilisation, sous prétexte de progrès, on est parvenu à bannir de l’esprit toutce qui se peut taxer à tort ou à raison de superstition, de chimère, à proscrire tout mode de recherche de la vérité qui n’est pas conforme à l’usage."

André Breton, 1924

quinta-feira, março 07, 2013

Vaticínio

A vitalidade da Igreja não está no Norte - o Norte predador, do capitalismo selvagem,  o Norte gordo e anafado do dinheiro fácil e do conservadorismo roufenho. Um papa americano é uma completa impossibilidade à escala global pela fragilidade   e perigos reais em que esta escolha traria à igreja e aos católicos em todo o mundo.

O novo papa tem de ser do sul - o sul da universalidade, da opção pelos pobres, pela justiça e pelos direitos humanos.

Vaticínio sobre o Vaticano.

Deus é brasileiro.
O próximo papa também .

terça-feira, março 05, 2013

Viagens


 
"Com um grande estrondo o comboio entrou na estação. A plataforma ficou logo cheia de gente, que ia, arrebatada, com embrulhos, chapeleiras, acotovelando-se. Saloios com os passos pesados das suas solas pregueadas, apressavam-se: havia nas faces um ar estremunhado e pasmado; uma criança chorava desesperadamente, e, quando à porta de saída o empregado lhe quis ver as malas, Artur, empurrado, atarantado, envergonhado, não encontrava as chaves. As mãos tremiam-lhe, sentia-se tímido, quase tinha saudades da casa das tias, da pequenez de Oliveira de Azeméis. E depois, com o seu bilhete de bagagem, muito embaraçado, quase aflito, errava pela grande sala de espera, dando aqui e além um olhar aos anúncios, onde se lia em grandes letras nomes de cidades – Sevilha, Córdova, Madrid, Paris — que lhe representavam civilizações magníficas e lhe davam um acanhamento maior."
Eça de Queirós 

segunda-feira, março 04, 2013

Os velhos

Não form o jovens agitadores entusiasmados, indignados ou exaltados que ontem encheram ruas e praças,
Foram os velhos.Para onde quer que me virasse só via velhos, cabeças brancas, rugas, berros de  desespero, revolta, indignação.Pessoas que sentem que lhes estão a roubar o essencial. Pessoas que se lembram bem da ditadura, do salazar, da bandidagem, do "antifamente", da fome, dos pés descalços proibidos por decreto, da guerra colonial. Pessoas que  descontaram quarenta, cinquenta anos para a segurança social, convencidas que iriam ter um fim d vida com o essencial.garantido. que trabalharam que nem doidos, que enfrentaram duas vezes o FMI dentro de portas, que ultrapassaram crises sociais, retornados, guerras coloniais, o verão quente, a segunda guerra mundial, Não são criançolas com medo a esfumaçar
E isto dá que pensar..

Paneleirices

A questão não é o cardeal ser gay. 

É ser hipócrita.