domingo, outubro 31, 2010

Deo Gratias

Hoje, pela primeira vez na sua história, o Brasil irá eleger uma mulher  presidenta. Um marco importante para a Democracia, para o qual contribuiram milhões de católicos que com o seu voto vão defender o bem comum.

sábado, outubro 30, 2010

Presidenciais

Um místico alternativo alucinado anda por aí a dizer que os recados do papa sobre os políticos não são  para o Brasil mas para  Portugal - para impedir  eleição de Cavaco.

Começou a campanha eleitoral

De coelho, claro.O próximo PM de portugal, para mal dos nossos pecados.
O rapaz é bonito e telegénico. Conselho ( de borla) ao staff da campanha - ele que fale pouco e sorria muito. Aliás basta aparecer e abanar a cabeça, qual loira do regime.Um novo corte de cabelo também ajuda.

Carta a um seminarista Rad Trad

Meu piqueno Fabinho, do Seminário de Leiria:
O rico anda empenhadíssimo em reuniões de tuperware em vez de estudar as cadeiritas de Teologia da UCatólica.
E é pena. Porque nota-se bem que a sua base de conhecimentos em Teologia é directamente proporcional ao infantilismo com que escreve sobre questões estruturais para a Igreja de Hoje.
É o que dá gostar mais de vénias, saias e incensos de que de pessoas.
Mas gostei muito de saber que as reuniões de tupperwares "estão em alta" nas sacristias dos seminários e que há um grupelho de seminaristas que se reunem para discutir o feitio do vestido cor-de-rosa que vão vestir no próximo sábado, enquanto lacrimejam contra o Concílio Vaticano II e o Bispo da Diocese .Afinal, nada mais estimulante que os gostinhos neonazis lefebvrianos misturados com as rezas em latim.
Querido, nada que eu não saiba. Afinal, foi isso que justificou este post.
Olhe, fabinho, o menino até pode gostar de se vestir de rosa-choque e andar aos pulinhos pelos escuteiros ( ai o fascínio da farda, ai, ai) , não tem é perfil nenhum para ser padre. È que não basta andar de sotaina e cabeção e não gostar de mulheres. 

Até pode ser que proximamente algum dos seus "orientadores" do seminário o ajudem a ver a verdade .
.

pergunta retórica

O Pedro Passos coelho também andou no seminário?

sexta-feira, outubro 29, 2010

Votar Dilma - a promoção do bem comum

"Isto significa também que em determinadas ocasiões, os pastores devem mesmo lembrar a todos os cidadãos o direito, que é também um dever, de usar livremente o próprio voto para a promoção do bem comum .", disse hoje o Papa. Vinte milhões de brasileiros salvos do limiar da pobreza parece-me um indicador suficiente de promoção do bem comum, o que justifica plenamente o voto católico em Dilma.

Coelho com couves de Bruxelas

 Durão Barroso, puxou-lhe as longas orelhitas.

O resultado é este - o mundo mudou em dois dias - e por milagre aprovar este OE é um imperativo nacional.

Dois meses e uns largos milhões de euros depois, o coelho deixou-se de palhaçadas.

Bastante atrasado.

Rad Trads

UM  Fabinho seminarista  lá da zona de Leiria parece gostar dos fradinhos das caldas - leia-se aqueles bonequinhos divertidos de sotaina preta a quem se puxa o cordel.

Fica perto de leiria, o  que explica a predilecção.

De qualquer forma, o meu  nick name não é cadela - mas bluesmile- e não, querido, não sou grande, sou até pequenina.

Mas percebo bem as  tendências do pequeno Fábio - não são é nada úteis à Igreja de hoje.

quinta-feira, outubro 28, 2010

"Foi a 24 de Outubro de 1910. Fez 100 anos.
Regina Quintanilha (1893−1967), então com 17 anos, atravessou a Porta Férrea, que dá acesso ao Pátio das Escolas, onde se situa a Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. Era o seu primeiro dia de aulas. Era também a primeira vez que uma mulher frequentava o curso de Direito, em Portugal. A sua matrícula, um mês antes, motivara uma reunião do Conselho Universitário, na qual fora discutida e aprovada a sua admissão. Foi acolhida em ambiente festivo pelos colegas, que atapetaram a entrada com as suas capas e formaram alas para lhe dar passagem.
Valendo-se do recentemente instituído regime de cursos livres*, Regina concluiu o seu em três anos, tendo sido, de imediato, convidada para reitora do recém-criado Liceu Feminino de Coimbra. Recusou, pois tinha outros planos — queria ser advogada. Apesar de a lei então vigente lhe vedar, por ser mulher, o exercício de tal profissão**. O obstáculo, à primeira vista intransponível, foi removido pelo Supremo Tribunal de Justiça que, em sessão plenária, decidiu conceder-lhe uma autorização especial para advogar. E foi no uso desta que, a 14 de Novembro de 1913, Regina Quintanilha, com apenas 20 anos, se estreou no tribunal da Boa Hora, em Lisboa, como defensora oficiosa de duas mulheres acusadas de agressão, tornando-se na primeira mulher a exercer a advocacia em Portugal."

A crise no PSD

a) se o PSD chegar a acordo com o Governo sobre o OE, o PSD sai prejudicado e o PS beneficiado;
b) se o PSD votar contra o OE, inviabilizando a sua aprovação, o PS sai beneficiado e o PSD prejudicado;
Com estas premissas «adivinha-se» 1) porque razão não se chegou a acordo e 2) qual o voto do PSD na Assembleia da República no dia 3 de Novembro, ressalvando o facto de se saber que, também na política, existem suicidas.

Tomás Vasques

Ao acaso

È incrível como a blogosfera se tornou numa espécie de sofá vermelho gigante onde se deitam ( e verbalizam através da escrita  ) disfunções e desvios. Não há terapeuta visível mas deve haver algum efeito catártico nesta exposição pública e nada púdica de pormenores íntimos. E não me refiro à parafrenália pornoerótica , mas a blogues mais ou menos sérios, mais ou menos eruditos, onde se descrevem pessoalíssimas questões tão intimistas que seria de esperar algum resguardo, algum sereno autocuidado. Mas não.  Há qualquer coisa de exibicionista no sofrimento emocional. Raramente é contido, trabalhado, dotado de sentido. Há que despejá-lo na via pública, como antes se fazia aos excrementos.

paisagem

Estou em casa . Doem-me as mãos da escrita. No centro da palma da mão, qual marca de stigma. Início de tendinite de teclado. Escrevo sempre com as duas mãos, agora mais com a esquerda. Os textos inadiáveis amontoam-se no canto direito do écran. Vale-me a minha formação do piano - teclo com todos os dedos, como se no écran houvera pautas. A mansidão das coisas - em pátios cães antigos.Velhos senis falam do salazar com saudade, esquecidos da fome, da doença e da imbecilidade rural da pide.

Crespismos

Mário Crespo - escolho-o porque ilustra perfeitamente o fenómeno - tem dois ódios de estimação, a saber, o PR e o 1º ministro. Também não sou dado a gostar especialmente de Sócrates a não ser dos fatos. Mas, sobretudo em televisão, o que releva (ou devia relevar) é ajudar os que a estão a ver a pensar e não transformá-los em putativos estagiários de um remake misto de O Crime com a revistinha Maria. Ora o Crespo (e por Crespo quero referir-me a um plural majestático), com as suas obsessões "temáticas", arrasta notícias e convidados para o propósito do dia que tem na cabeça. É lamentável que muitos dos convidados se deixem arrastar para as "conclusões" que o "crespismo" já traz preparadas de casa e que dão para horas e dias de "formação". Defensor indisputável da liberdade de expressão, julgo que o "crespismo" - nas suas variantes mais ou menos populares que incluem comentários anónimos na web - deve florescer até como exemplo do que o ressabiamento pode fazer a pessoas inteligentes. Nunca leram Richard Rorty, pois não? Ou mesmo Proust ou Oscar Wilde? Então leiam porque dito assim parece tirada "ao lado". Não é. Quem não aprende a redescrever-se ironisticamente ou a intuir em cada momento da nossa vida a pura contingência dela, não anda cá a fazer nada."
 

quarta-feira, outubro 27, 2010

Os retardados

As incongruências coelhistas, as fífias e os adiamentos lembram alguns rapazolas com disfunção sexual.

Muitas ameças, muita converseta, mas a finalização, nada. E demora, demora demora....
Nem aprova o Orçamento  nem sai de cima.

A coisa já satura, mas não na direcção estratégica que os coelhistas previam, bem pelo contrário.

As pessoas começam a estar um bocadinho fartas da falta de performance final deste coelho duracel e deste PSD que assim se esfrangalha inutilmente.

DILMA vencedora

Felizmente para o povo brasileiro, nosso país irmão, Dilma vai ganhar as eleições...

Nota do dia

Ainda vão dar uma cambalhota e assinar o OE de cruz.

Eu já suspeitava - são todos uns abstinentes...

A contracepção é pecado

Esta senhora não usava contraceptivos.

Notas sobre o dia de hoje

Um PSD sem credibilidade e reduzido à infantilidade coelhista.

Um deus marginal e agitador

"El procurador romano Poncio Pilato (Pontius Pilatus) juzgó a Jesús como agitador peligroso. procedente de la levantisca Galilea, y lo hizo ejecutar mediante la crucifixión, un tipo de muerte especialmente infamante y oprobiosa (mors aggravata), reservada para bandidos y rebeldes.
Los romanos contemplaban con tolerancia e indiferencia todas las religiones. Si sentenciaron a muerte y crucificaron a Jesús, eso no pudo ser por sus ideas religiosas, que a los escépticos romanos les traían sin cuidado, sino por representar un peligro para Roma, por su pretensión de autoproclamarse rey de los judíos, y por su intento de rebelión en Jerusalén. Desde luego, Jesús no era el único predicador carismático judío que sería crucificado por los romanos. Las autoridades imperiales consideraban como su principal tarea el mantenimiento de la pax romana, y cualquier agitador de los calenturientos judíos palestinos era una amenaza latente para el orden público.
Si Jesús hubiera sido acusado de un crimen religioso, habría sido entregado a la autoridad judía del Sanedrín. Si hubiera sido condenado a muerte por esta, habría sido ejecutado por lapidación (como Esteban o Jacobo luego) o ahorcado, o quemado, o decapitado. Pero los judíos no crucificaban. La crucifixión era la forma típica de ejecución infamante de los romanos.
Que Jesús fuera crucificado es señal inequívoca de que sus jueces y ejecutores fueron romanos, y de que su crimen fue político: la rebelión."

terça-feira, outubro 26, 2010

Rad Trads

O fundamentalismo católico norte-americano, uma salgalhada de ideologia de extrema direita, racismo, antisionismo  e Tradicionalismo católico lefebvriano, vai aparecendo em pequenas incursões em Portugal que já ultrapassaram os delírios da internet em dois ou três blogues  e  originaram cursilhos institucionais em seminários e na basílica de fátima.
Há a versão elitista e pseudoespiritual da coisa a reboque de alguns desvarios papais, e há a versão mais pop - mas a realidade é a mesma - a influência do fundamentalismo católico norte americano está a chegar à formação de base dos seminaristas diocesanos em Portugal.

Que alguns Seminários portugueses acolham estas influências sem uma reflexão ponderada, é sintomático do desespero da falta de vocações que leva a que se aceitem os mais débeis para certas funções, que se fascinam facilmente  pelo brilho das lantejoulas e pelo cheiro a incensórios.

Não é por acaso que certos seminários estão vazio e houve mesmo hemorragias de candidatos no último ano.

Felizmente que as lideranças dos seminários estão a mudar ( para melhor), mas alguns danos estão feitos.Esperam-se medidas.

segunda-feira, outubro 25, 2010

Boas notícias - uma Igreja responsável.

La Iglesia católica de la ciudad de Lucerna, en el centro de Suiza, distribuirá desde hoy y hasta el miércoles preservativos gratis a los ciudadanos, una iniciativa que se enmarca dentro de una campaña de prevención contra el Sida.

La diócesis de Lucerna ya ha repartido cerca de 3.000 preservativos desde su puesto de distribución en la estación de tren de Lucerna. Bajo el lema "olvidar es contagioso; protege al prójimo como a ti mismo", la Iglesia católica de Lucerna quiere atraer la atención sobre los riesgos de las relaciones sexuales no protegidas.Nosotros debemos proteger la vida, y lo hacemos a través de los preservativos

"Nosotros debemos proteger la vida, y lo hacemos a través de los preservativos"

O marginal

Jesus era um pé rapado. Um zé ninguém. Um sem-terra. Um campónio. Um sem abrigo. Um radical modernista. Um revolucionário.Um marginal.


"La religiosidad de Jesús fue una religiosidad "marginal", es decir, él vivió su relación con el Padre al margen de la religión oficial. Nunca, en los evangelios, se nos dice que Jesús fuera a orar al templo, ni que participara en los sacrificios rituales que imponía la liturgia del templo. Ni Jesús construyó un templo o una capilla aparte. Sabemos, además, la denuncia tan grave que hizo Jesús contra el templo, del que dijo que había sido convertido en "una cueva de bandidos". Por otra parte, Jesús tuvo conflictos frecuentes con los observantes religiosos por causa de su no observancia de preceptos que imponía la religión(observancia del sábado, del ayuno, de las purificaciones rituales...). Jesús, además, se enfrentó a los sacerdotes y, sobre todo, a los sumos sacerdotes. Hasta el extremo de que fue el consejo supremo del Sanedrín el que decretó su muerte y forzó al procurador romano, Pilatos, para que firmara la ejecución de Jesús en una cruz."

José Maria Castillo


Por isso, os progressistas católicos de hoje podem estar descansados - estão sempre bem acompanhados,

por Ele.

Farisaísmos

Maria da Graça pariu hà uns meses o 11º filho, por ordem divina e logo mergulhou na escuridão mais funda do distúrbio psiquiátrico grave de que sofre em segredo por causa das gravidezes violentas e sucessivas.

Condoída,  a mãe de Maria da Graça mudou-se de armas e bagagens para o T3 de um bairro periférico, onde se acotovelam agora 11 crianças e quatro adultos, em quartos apinhados de camas, biberons e brinquedos doados pela comunidade. Maria da Graça deixou de uivar de noite e agora só reza,  entre gargalhadas de delírios vários. E a mãe dela, muito em segredo, já maldiz o dia em que inscreveu a miúda  no Movimento Neocatecumenal.
A presença da mãe e a medicação neuroléptica intensiva safou-a de mais um internamento em psiquiatria. Por enquanto. A seita CATÒLICA a que pertence proibe-a de usar contraceptivos, "por ordem do papa, a quem devemos obediência, porque nunca se engana". Usar contracepção  é um pecado grave e  esta jovem mulher tem um medo doentio de morrer em pecado e ir parar ao inferno.
 Os filhos - louros, ruivos e dois morenos, saltitam pela casa como pequenos animais angelicais, deixando dejectos e restos de comida nos tapetes.Três quartos, quinze pessoas, uma ilustração do Quico na sala de jantar que é também dormitório. Algumas mulheres da seita vieram ajudar a doentinha - mais uma vítima de deus,  cujos desígnios, como todos sabem,  são insondáveis, e que tem especial gozo em torturar mulheres frágeis. As servas da "comunidade" ou do "movimento" ou lá o que raio é, vão e vêm pela casa, num serviço de babysitting que lhes aumenta as cotações celestiais,  levam os meninos ao parque às segundas-feiras à tarde brincar nos escorregas afoitos enquanto a mãe vegeta, horas a fio a olhar para o teto.
A Maria da Graça vai morrer nova, mas tenho para mim que vai ser santificada.

Os gerontes

Ainda se excitam com barretinhos vermelhos e microfones banhados a oiro.

 O que não diria Freud destes artefactos fálicos assim trazidos à praça pública em bençãos simbólicas.

Quão longe vai a pobreza evangélica de um judeu que percorria a pé os lugarejos da galileia e que se insurgiu contra a TRADIÇÂO intocável da "verdadeira fé" judia.

segunda-feira, outubro 18, 2010

A velha

A velha morreu na quinta-feira. Estava queixosa e frágil como um bebé recém-nascido, mas aguentou-se a tempo de festejar os cem anos com uma festarola à moda antiga. Ou isso ou o nascimento do trisneto, não sabemos bem. Ficou à espera de cumprir estas duas últimas tarefas existenciais antes de soçobrar lentamente, semana após semana. Durante o funeral, o neto falou da morte das velhas árvores, da inevitabilidade do outono e da morte como uma sucessão de folhas que se desprendem de um plátano até à síncope da última. A lentidão da morte, uma doçura outonal, mais nada.
Sorriamos uns para os outros no cemitério da aldeia, sobre um outeiro em meia lua com vista para o vale vazio de sons mas carregado de tons vermelhos e doirados.

mães

as mães
são algas agridoces
entrelaçadas sobre as caras
pequenas jóias pardas
nas lagunas do medo.

putas

quando os rostos desabridos da noite
caem sobre os colos das mulheres
elas sorriem

Ao acaso

Dizem que os blogues esvaziaram os livros, que as filas de poetas se acotovelam on line.

Ao sul

Recomeçou a chuva, o laborioso entretecer da água sobre as casas.
O que há de bom na chuva é ser toda habitada por iridescências opacas até impregnar tudo numa fantasmagórica fuligem. 
A chuva é tão súbita, não se compadece com impermeáveis fictícios, os pirilampos das cadeiras dos cafés endireitadas à pressa rente aos passeios, a fosforescência dos cactos do jardim, aquosas cristalizações do asfalto, os pequenos insectos coleccionadores de gotas.

Brasil sujo

O que se está a passar no Brasil durante a campanha eleitoral para as presidenciais faz lembrar os fantasmas da ditadura. A extrema direita católica, com alguns Bispos à cabeça,  tem usado tudo, até o dinheiro, numa campanha suja.

sábado, outubro 16, 2010

Obscenidades


Esta obscenidade, proferida sem qualquer pudor faz-me lembrar os recém-nascidos contaminados.são cerca de 600.000 todos os anos. Para quê medicamentos /retrovirais? É deixá-los morrer a todos.
Afinal quem somos nós para contrariar a justiça divina?
Pois sim.
Quando leio obscenidades destas não posso deixar de pensar que a opinião do arcebispo mudaria drasticamente se descobrisse que estava infectado. Bastaria o azar de uma transfusão, por exemplo.
Se calhar até nem seria o primeiro purpurado a quem tal aconteceu.

sexta-feira, outubro 15, 2010

Homens incomuns

Hoje lembrei-me de Mota Pinto e da sua morte trágica. Eu era demasiado criança para perceber estas minudências da política, ( lembro-me apenas  do choque e da consternação que percorreu a minha cidade, como uma onda) mas um dia o meu pai disse-me dele: "Grande homem. Deu a vida pela pátria".
Hoje qualquer leitor da revista maria sabe que o stress intenso, o trabalho desgastante e a constante pressão podem  provocar enfartes em pessoas com predisposição para tal. Mas  poucos avaliam o impacto da pressão de governar em situação limite , e de ter a coragem de aceitar desafios ou de construír alianças apenas em nome do bem comum.

Dona gilberta

Dona gilberta inclina a cabeça enquanto confidencia maleitas. O busto excessivo tremelica sob a camisola vermelha escura enquanto desfia a operação aos pólipos, o mioma e as cataratas.
As mãos cheiram a lixívia, um cheiro forte que se sobrepõe ao vapor da laca comprado no LIDL e a envolve com a aura angelical das coisas desinfectadas. 
Dona gilberta tem sessenta anos vigorosos e ainda trabalha a dias nas limpezas para ganhar o sustento.
O amante com quem conviveu amorosamente durante trinta anos morreu-lhe e agora ficou sem nada. Enquanto repete sem nada, sem nada, o busto excessivo soluça suavemente num balanceio de maresia, sem nada, sem nada , abana  as mãos e o cheiro da lixívia espalha-se como incenso no vão da escada.
Os filhos - os legítimos- do defunto entraram-lhe porta adentro e exigiram  tudo, roupas, recordações, fotografias, relógios e prendas, contas bancárias, uma vivenda partilhada a dois durante décadas ( ou seria a três? - dona gilberta não tem agora certezas absolutas).
Na dispensa antiga fez uma capelinha de aparições, um altar onde três nossas-senhoras-de-fátimas e muitos pastorinhos de vários tamanhos se acotovelam com flores de plástico, entre cortinas de tule cor de rosa com folhinhos na ponta.
È o meu refúgio, sussurra, e fala-me do amor de deus que a sustenta. A fotografia a preto e cinza onde um homem de bigode - disputado até depois da morte por duas mulheres aflitas -  encosta a cabeça precisamente no colo da senhora de fátima mais pequenina, enlevado da mais eterna satisfação.

quinta-feira, outubro 14, 2010

Do chile, com amor

Duas notas extraordinárias:
Uma operação de resgate tecnicamente muito complexa que decorreu de forma exemplar, perfeita, mesmo, destacando-se a coragem  da equipa médica que desceu ao poço.
O responsável pelo grupo - o último mineiro a saír - que disse apenas : Terminei o meu turno, agora posso descansar.

Uma nota de mediocridade - o presidente do chile que nem esperou pela saída da mina das equipas de resgate para fazer um discuso uma bocado idiota a falar em deus e em milagres e nem uma palavrinha de reconhecimento sobre o esforço da equipa que permitiu o salvamento. Cá ou lá, os políticos são basicamente uns idiotas trauliteiros.

quarta-feira, outubro 13, 2010

Do Chile, com amor

Num ambiente mediático dominado pela mediocridade do pessimismo - como se a derrota comunitária fosse uma espécie de inevitabilidade, a história dos mineiros chilenos é uma espécie de parábola de esperança.
Está lá tudo - os limites da sobrevivência, a resiliência face ao drama, os esforços da comunidade para salvar os seus ( em que os seus são todos os que nos pertencem por comungarem  da mesma humanidade). Está lá tudo - um país pobre que se une, as ajudas internacionais que chegaram , as solidariedades insuspeitas, o resgate lento dos enterrados vivos, a abnegação das equipas de socorro, a feira alegre e angustiada das famílias que não desistiram ( com as amantes e as mulheres a acamparam ao lado da mina em zaragatas amorosas), a criança que nasceu e se chama esperança, as lágrimas e o riso, a persistência e a tecnologia, essa estranha força de alcateia que nos faz ir buscar os nossos nem que seja aos confins dos infernos, ao reino da escuridão de  Hades.
È isto que todos somos, esta grandeza de ser bicho.
O chefe de turno, Luis Urzúa, de 54 anos, será o último a sair da mina. Não deixará nenhum dos seus homens para trás. Li esta notícia e corei de vergonha.
Isto, poucos somos. Esta grandeza de ser homem.

uM MonsTRO HÍBRIDO - O CAPITALISMO COMUNISTA

Banksy Simpsons Intro

Socrates is the best

O povo português não é estúpido.

Tony Blair muito menos.

DILMA PRO-LIFE

Por aqui.

Entretanto, "Com Serra estão a extrema-direita militar, as igrejas evangélicas mais conservadores, a Opus Dei, a TFP, a ala mais nefasta do novo catolicismo e os interesses econômicos de quem quer interromper a política de independência econômica e diplomática do Brasil.

Essa turma não brinca em serviço."
Por aqui.

terça-feira, outubro 12, 2010

Vitrais

a luz outonal delonga-se mais tempo.

os efeitos

 "Para já o resultado é a descida do PSD, nos últimos 4 meses, de 10% nas sondagens, estando agora abaixo do PS, bem como a oferta de bandeja ao Governo\PS da possibilidade de aparecerem diariamente como a única opção sensata, responsável, com sentido de Estado para governar, já que a alternativa é alguém que, nem que seja apenas aparentemente, considera a hipótese de pegar fogo à casa para não gastar dinheiro com a mobília."
 Comentarista anónimo

Cinismp político

DOs bandalhos.

On line

http://aeiou.expresso.pt/governo-alemao-persegue-neonazis-na-net=f608511

sexta-feira, outubro 08, 2010

Da guerra

Receita para fazer um Herói



Tome-se um homem,

Feito de nada, como nós,

E em tamanho natural.

Embeba-se-lhe a carne,

Lentamente,

Duma certeza aguda, irracional,

Intensa como o ódio ou como a fome.

Depois, perto do fim,

Agite-se um pendão,

E toque-se um clarim.


Serve-se morto.

Reinaldo Ferreira

Amália Rodrigues - Trova do vento que passa

Poema perfeito

Eram de longe.


Do mar traziam

o que é do mar: doçura

e ardor nos olhos fatigados
 
Eugénio de Andrade

U2 Coimbra - Inicio do concerto...

U2@Coimbra - Bono speaks with people - University of Coimbra

Elevation (HD) - U2 Live - 3 OUT - Coimbra - Portugal

O Coelho louco



"Se a isto juntarmos o facto do PSD poder vir a ser considerado pelo “povo” como o primeiro responsável pela sua inexplicável falta de “patriotismo” e de “bom senso” ao não permitir a aprovação do orçamento de 2011, sobretudo, por, por causa do seu voto “contra”, provocar a intervenção da Comissão Europeia e/ou do FMI – ou a “bancarrota” –, é evidente que o destino político da actual direcção do PSD fica traçado (se é que já não está traçado). O resto, nomeadamente andar por aí, como se diz na gíria, de "peito feito", é absolutamente pernicioso, para não dizer ridículo. É que ao contrário do que se pode pensar lá para as bandas da São Caetano, a pólvora já foi inventada há muito tempo e a intransigência e a precipitação pagam-se caras (o Governo e, sobretudo, o país que o digam). .. No entanto, como o PSD parece querer apagar o incêndio em que estamos metidos lançando-lhe gasolina, os problemas do país acabarão por ser resolvidos com chuva diluviana. Ora o dilúvio não parece ser solução que portugueses, e não só, possam contemplar impávida e serenamente e sem pedirem responsabilidades e encontrarem os respectivos culpados.#

 Do cachimbo

das fugas

Andar por terras distantes e conversar com estranhos torna as pessoas ponderadas 
( Miguel de Cervantes )

A mulher ideal

Um blogue a seguir.

Da Paz

O Prémio Nobel da Paz foi atribuído ao dissidente chinês Liu Xiaobo.

quinta-feira, outubro 07, 2010

uma vida, mil viagens...

Baikal

The great wall

Red Square

ULAN BATOR

Ulan Bator-Beijing

Qing-hai ( Mongolia )

segunda-feira, outubro 04, 2010

Ah... afinal era só uma reconstituição histórica

Ah, segundo um amigo meu que saiu à lide em defesa dos rapazes, a culpa do mau gosto  não é dos pobres da fotografia... Nada disso.
Por causa das  comemorações do centenário da república, resolveram fazer uma representação teatral litúrgica e recuar no tempo para ver como se vestiam os padres  hà cem anos atrás...
Um espécie de feira medieval novecentista à boa maneira litúrgica.
Mas sem zé povinho. Ninguém  na Missa, mais ou menos secreta. 
Afinal, os leigos só chateiam. Se as igrejas estiverem  vazias,  menos trabalho têm os padres.

Mas, tenho de confessar, o vestidinho rosa choque, parte-me toda! Ui!

CONTRA: Os grandes valores da monarquia

Se a feiura pagasse imposto, as contas do estado estavam melhor

Vejam esta foto ridícula.
Mal os ordenam diáconos, os pobres que nem latim sabem, ala que se travestem alegremente...

Não sei de de qual gosto mais, se do pobre rubicundo diácono vestido à século XIX , uma boa alma desencaminhada por derivas recentes, se o das barbas de revolucionário à anos sessenta e ar um pouco alucinado, se o outro com penteadinho à paulo bento....

Mas  aquele da saia de rendinha branca com o rosa-choque por baixo é que me pareceu tudo menos canónico. Que pobreza....franciscana.

( Há gostos para tudo - é a religião supermercado)

Apesar da chuva...

Eu bem disse que jantar com o Bono é sempre um prazer.

Eleições no Brasil

A vitória adiada de Dilma

sábado, outubro 02, 2010

Tudo explicado

La reprise économique mondiale, permise par une injection colossale de dépenses publiques dans le circuit économique (des États-Unis à la Chine), est fragile mais réelle. Un seul continent reste en retrait, l’Europe. Retrouver le chemin de la croissance n’est plus sa priorité politique. Elle s’est engagée dans une autre voie : celle de la lutte contre les déficits publics.
Dans l’Union Européenne, ces déficits sont certes élevés – 7% en moyenne en 2010 – mais bien moins que les 11% affichés par les États-Unis . Alors que des États nord-américains au poids économique plus important que la Grèce, la Californie par exemple, sont en quasi-faillite, les marchés financiers ont décidé de spéculer sur les dettes souveraines de pays européens, tout particulièrement ceux du Sud. L’Europe est de fait prise dans son propre piège institutionnel : les États doivent emprunter auprès d’institutions financières privées qui obtiennent, elles, des liquidités à bas prix de la Banque Centrale Européenne. Les marchés ont donc la clé du financement des États. Dans ce cadre, l’absence de solidarité européenne suscite la spéculation, d’autant que les agences de notation jouent à accentuer la défiance.
Il a fallu la dégradation, le 15 juin, de la note de la Grèce par l’agence Moody’s, pour que les dirigeants européens retrouvent le terme d’ « irrationalité » qu’ils avaient tant employé au début de la crise des subprimes. De même, on découvre maintenant que l’Espagne est bien plus menacée par la fragilité de son modèle de croissance et de son système bancaire que par son endettement public.Pour « rassurer les marchés », un Fonds de stabilisation de l’euro a été improvisé, et des plans drastiques et bien souvent aveugles de réduction des dépenses publiques ont été lancés à travers l’Europe. Les fonctionnaires sont les premiers touchés, y compris en France, où la hausse des cotisations retraites sera une baisse déguisée de leur salaire. Le nombre de fonctionnaires diminue partout, menaçant les services publics. Les prestations sociales, des Pays-Bas au Portugal en passant par la France avec l’actuelle réforme des retraites, sont en voie d’être gravement amputées. Le chômage et la précarité de l’emploi se développeront nécessairement dans les années à venir. Ces mesures sont irresponsables d’un point de vue politique et social, et même au strict plan économique.
Cette politique, qui a très provisoirement calmé la spéculation, a déjà des conséquences sociales très négatives dans de nombreux pays européens, tout particulièrement sur la jeunesse, le monde du travail et les plus fragiles. A terme elle attisera les tensions en Europe et menacera de ce fait la construction européenne elle-même, qui est bien plus qu’un projet économique. L’économie y est censée être au service de la construction d’un continent démocratique, pacifié et uni. Au lieu de cela, une forme de dictature des marchés s’impose partout, et particulièrement aujourd’hui au Portugal, en Espagne et en Grèce, trois pays qui étaient encore des dictatures au début des années 1970, il y a à peine quarante ans.
Qu’on l’interprète comme le désir de « rassurer les marchés » de la part de gouvernants effrayés, ou bien comme un prétexte pour imposer des choix dictés par l’idéologie, la soumission à cette dictature n’est pas acceptable, tant elle a fait la preuve de son inefficacité économique et de son potentiel destructif au plan politique et social. Un véritable débat démocratique sur les choix de politique économique doit donc être ouvert en France et en Europe. La plupart des économistes qui interviennent dans le débat public le font pour justifier ou rationaliser la soumission des politiques aux exigences des marchés financiers.

Afinal a culpa é da nelinha

"Depois de um período de merecida e judiciosa hibernação, a tribo dos órfãos políticos de Manuela Ferreira Leite tem estado muito activa por estes dias. Há no entanto um pormenor que os membros desta tribo persistem em ignorar: o PSD de Ferreira Leite foi há um ano a votos e saiu derrotado. Não perdeu à tangente: perdeu por sete pontos percentuais contra um Sócrates já em notória "derrapagem. Este é um dado que não pode ser escamoteado em nenhuma análise - a menos que partamos do princípio de que o povo não tem razão na hora de votar...
Ferreira Leite fartou-se de bradar contra a política socialista mas acabou por viabilizá-la. Proclamava a necessidade de haver uma "política de verdade", mas pactuou com o orçamento ( ) apresentado por Sócrates e Teixeira Santos. "

Nogueira dixit

A matança das inocentes

Continua, ante a passividade geral e a bovinidade reinante. Elas são abatidas nos matadouros caseiros.

Quid iuris

"O agricultor apanhado bêbado há uns dias a conduzir uma carroça puxada por um burro já foi condenado e vai cumprir a pena. A nossa justiça, afinal, também sabe ser rápida. E as televisões, como agora passaram a fazer com os condenados, entrevistaram o agricultor à saída do tribunal. Resta saber se em breve o homem também vai à Judite de Sousa, ao Goucha e a dois ou três telejornais. E se levará o burro, evidentemente."

no Delito de opinião

sexta-feira, outubro 01, 2010

Contra a barbárie , contra a Tradição.

Contra a  mutilação genital feminina.

Enquanto uns debatem idiotices, a matança das inocentes continua

O horror mora na nossa rua.

A crise no PSD

Simbolicamente, Freud diz-nos que é preciso matar o pai.

La vie en rose

Irrita-me profundamente o ar de asceta místico do Louçã. Sempre que o vejo a vociferar na AR contra o Sócrates, a fumegar um ódio que ultrapassa a divergência política mas que tem qualquer coisa de pessoal , imagino-o vestido de Torquemada.
Os meus amigos vontantes do BE são todos da esquerda chique caviar - aquilo que se convencionou chamar classe média alta. Votaram no Louçã porque se irritaram com o Sócrates, que lhes retirou alguns benefícios, mais nada.
Mas não gostavam nada de um Governo Bloquista, cruzes , credo.

Um deus incestuoso

Há gajos que acreditam num deus incestuoso. Chamam a isso monogenismo.
 Cada um fabrica um deus à sua medida dos seus pequenos monstros interiores.

Esperança?

Sabíamos que iam matá-la. Quando o Irão anunciou que tinha suspendido a lapidação, a prémio Nobel Shirin Ebadi disse: «Não confio. Matá-la-ão». E o regime assim o confirmou: não haverá lapidação, “só” enforcamento. Tendo em conta que Sakineh Ashtiani havia pedido que não a lapidassem diante dos seus filhos, a sentença é um “avanço”. Evidentemente o regime armou todo um corpo legal para considerá-la culpada, mas a crónica da sua tragédia dá-nos a medida da tortuosa perversidade desta tirania. Sakineh é uma azeri do Azerbaijão iraniano que quase não fala persa. Quando a sentenciaram à morte, nem sequer entendeu a palavra árabe utilizada no código penal iraniano para lapidação: rajam.

Aqui