segunda-feira, agosto 30, 2010

Onde estavas tu às 18 horas de 28 de Agosto de 2010?

Contra a lapidação de mulheres

Contra o horror.

E agora coisas verdadeiramente importantes

'Estou fora de Portugal e por esse motivo não estarei presente nesta manifestação contra a iniquidade. Mas quero agradecer às organizadoras e aos organizadores por provarem que neste país ainda há pessoas sensíveis e civilizadas.
Queria também lembrar que morrem em Portugal muitas, tantas mulheres assassinadas pelos maridos e namorados e que quase ninguém fala delas.
Neste caso, porém, trata-se de uma morte decidida pelos tribunais, pelo Estado e pela religião, o que é ainda mais terrível e revoltante.'

Bispo Januário Torgal Ferreira

Um papa alternativo

Afinal parece que Bento XVI não se incomoda muito com o casamento gay nem isso impede o vaticano de condecorar políticos que activamente o incentivam.
E ainda bem.
Num  mundo pejado de injustiças, violência e radicalismos religiosos histéricos, o Papa tem bem mais que fazer do que opor-se à felicidade de alguns casais que querem constituír família pelas normas do Direito Civil.
Dizem que o  Nuno Serras Pereira e o Gonçalo Portocarrero de Almada quase tiveram uma apoplexia quando souberam da notícia, a ponto do senhor Pereira vir a terreiro justificar o pobre Papa, que, provavelmente devido a demência ( única explicação plausível) desconhece por completo a quem são atribuídas as condedorações oficiais do Estado do Vaticano.
Já o Portocarrero é mais discreto, e deve lamentar em privado que a augusta figura do deserdado aspirante ao trono português, o senhor Duarte nem uma condecoraçãozinha levou das mãos papais, ao contrário dos republicaníssimos representantes da Nação.

Enfim, coisas de comadres que gostam de usar vestidos pretos compridos com botõezinhos à frente.

domingo, agosto 22, 2010

Da perfeição

A noite no jardim a beber sangria com ervas aromáticas sob um luar aquoso
entre plantas, amigos, crianças, um cão e um gato.

sábado, agosto 21, 2010

Burkas católicas

Foi há pouco tempo, em Barcelona. Numa belíssima catedral. Cá fora,  um tempo tórrido, a habitual litania de turistas. Entrei na escuridão da catedral, de uma frescura húmida e luminosa a lembrar oásis escuros e comecei a percorrer o espaço, com a lentidão sonolenta do fim do dia.
Por coincidência ia acompanhada pelo meu marido e dois amigos - ambos padres. Aproximei-me da parte central da cripta, para apreciar o altar-mor. De repente sou surpreendida por uma mulher porcina que se levanta de um banco lateral e se dirige a mim, ofegante, vociferando. Ainda pensei que tinha penetrado numa zona restrita a turistas ou em obras de restauro e que a aflição violenta da mulher se devia a isso. Mas não. Os gestos obscenos e a tentativa de expulsão deviam-se à minha roupa - por algum motivo tinha infringido um qualquer dress code religioso da moralistóide beata. Convenhamos que eu estava vestida de uma forma extremamente discreta - calças compridas, uma blusa de alças, decote normal. Nem outra coisa me passaria na cabeça naquele contexto turístico - ainda para mais rodeada de dois padres amigos idosos  que ficaram eles próprios perplexos com a explosão da beata.
Senti-me de repente insultada e quase nua no meio da catedral.
Depois percebi - e comecei a rir. A beata devia ser lésbica e excitou-se com a pele dos meus ombros.
Lembrei-me deste incidente ao ler isto. Há um elemento de fundo larvar nestas coisas moralistóides que lembram o ressurgimento de antigos monstros.

sexta-feira, agosto 20, 2010

quarta-feira, agosto 11, 2010

A multidão de crentes

São apenas Sete  as almas solitárias portuguesas que se dispoem a assistir a uma missa tridente em Fátima.
Claro que a Diocese Araçatuba, assim como outros sites esotéricos que se inscrevem sempre nestas coisas estranhas de não contam para a estatística.
Para quem ameçava encher a Basílica de Fátima com uma multidão de aficcionados,  percebe-se agora a verdadeira dimensão da  excitação beatífica que a missa velha suscita nos católicos portugueses.

segunda-feira, agosto 09, 2010

Roberto Jimenez - O Novo Guarda Redes do Benfica LOL

O Processo

"Os procuradores do processo Freeport tiveram anos para investigar, mas só 15 dias antes de terminar o prazo para conclusão do processo é que pediram autorização para interrogar Sócrates.
Para o PM ser ouvido é obrigatório reunir o Conselho de Estado – o que provavelmente só seria possível lá para Setembro.
Entre trâmites burocráticos e a conclusão do processo decorreriam mais uns meses mas, entretanto, Cavaco convocaria eleições antecipadas, que se realizariam com Sócrates ainda sob suspeição. Os jornais continuariam a publicar informação com base em "fontes anónimas" e alguns blogs coelhistas fariam de câmara de eco, avolumando as suspeições.

Claro que isto seria mera coincidência e nada teria a ver com política, pois não?’

Daqui

domingo, agosto 08, 2010

A matança das inocentes

Eu bem tinha avisado que até ao fim de semana haveria mais mulheres executadas.

Mais uma.

Um gay beato

John Henry Newman vai ser beatificado por Bento XVI, mesmo depois de ter sido tornada pública a sua homossexualidade. De facto, o Cardeal Newman teve uma longa relação amorosa com Ambrose St. John durante 32 anos, pedindo expressamente para ser sepultado a seu lado, como qualquer casal.
O vaticano alega que se tratou apenas de uma amizade viril. Tão intensa que justificou o pedido expresso do Cardeal de ser enterrado na mesma tumba do amante amiguinho.

Claro.

Barata feira

El Papa cobrará entrada a las misas que oficie en Reino UnidoEl precio de las distintas ceremonias oscila entre los 6 y los 30 euros.

Apontamento

"Tenho um amigo jornalista, da velha e boa escola, amigo do Afonso Praça, do Fernando Assis Pacheco e do Zé Cardoso Pires que, quando topa prosa prenhe de advérbios e de adjectivos diz:- Foge, que temos criatura reles e incompetente.Quando não se tem nada de substantivo para dizer, foge-se, cobardemente, para trás do adjectivo ranhoso e do advérbio labrego."
Lido numa caixa de comentários.

Apontamento

Lisboa liquidifica-se sob o calor. Em algumas ruas a cidade parece deserta, como se um sopro fantasmagórico volatizasse habitantes, cães e carros. Nos centros comerciais  pretos e brasileiros limpam mesas e riem subitamente felizes, menos clientes, mais folga, mais calor de derreter alcatrão, que maior felicidade?

sexta-feira, agosto 06, 2010

Da ética jornalística ou da falta dela

Promuiscuidade e perversão.

Real Politik

"De facto, Aveiro provou que se pode dar um golpe que decapite um Governo, ou um partido, com toda a facilidade e, pasme-se, legitimidade. A partir do momento em que se dispõe de elementos relativos à privacidade de um político, até uma conversa com a sua avó querida pode ser usada para manobras de assassinato de carácter. Não terá essa conversa sido feita em código e diga respeito a casas oferecidas pela máfia? Tem de se investigar, mas sem pressa, devagarinho, de modo a não assarapantar a ladroagem. Para obter os lúbricos segredos de um governante basta ter um pretexto, uma razão inquestionável; por exemplo, escutar um seu amigo de plena confiança, comunhão política e frequente contacto. Não irão os cabrões dizer alguma coisa que se pareça com um atentado ao Estado de direito? Olá se não vão, passam o dia a pensar nisso! E mesmo que legalmente a operação seja um fiasco, que apareça alguém a defender a Constituição e a democracia, o alvo nunca mais consegue limpar as nódoas. A porcaria continuará a ser lançada pelos porcalhões."


Valupi

quinta-feira, agosto 05, 2010

A matança das inocentes

Não deixa de ser impressionante a indiferença social dominante face ao generocídio em Portugal.
 O homicídio de mulheres pelos seus extremosos companheiros, maridos e pais dos seus filhos agudiza-se sempre no Verão, durante as férias, como se abrisse a época da caça. Porquê? Porque, ao contrário dos que tecem ladainhas aos idílios domésticos da conjugalidade, durante o resto do ano as mulheres trabalham e os homens também , as crianças estão mais ou menos entregues aos cuidados escolares e é menor o tempo passado junto dos abusadores. Trabalhar fora de casa protege as mulheres, mas infelizmente, durante as férias, são obrigadas a conviver mais tempo e mais de perto com os algozes. Estão sozinhas no matadouro, ou seja no sacrossanto lar.
Só esta semana já foram três,  mas atenção que a semana não terminou.
Não se percebe esta indiferença, esta pasmaceira nacional perante um generocídio certo e cada vez mais sádico. A morte destas mulheres assassinadas pelos maridos é cada vez mais violenta e atroz, não são mortes "simples" ou acidentais, as mulheres são degoladas, regadas com ácido, esventradas com facas, baleadas várias vezes, mesmo com filhos pequenos ao colo.
Os homicidas, tranquilos, vão em seguida entregar-se às autoridades, sabendo que o castigo é leve e que em alguns meios  machistas têm até a complacência dos heróis e que esta complacência nacional está para ficar.
A violência contra as mulheres é a expressão radical do machismo que ainda grassa por aí,  na nossa sociedade de bons valores familiares,  brandos costumes, fados, toiros e bola,  marialvismo saloio.

E não vejo nenhuma tomada de posição pública, nem da Igreja Católica, nem das associassõezecas pela vida  que andam por aí de terços na mão a dizer que são feministas e até defendem os direitos das mulheres, nem de instituições de solidariedade social, nem das doutoras tétés, nada, nadinha, isto é tudo normal, desde que as fêmeas vão procriando e parindo, está tudo segundo as leis naturais do bom deus.

Da vida das cidades



"Há pequenas impressões finas como um cabelo e que, uma vez desfeitas na nossa mente, não sabemos aonde elas nos podem levar. Hibernam, por assim dizer, nalgum circuito da memória e um dia saltam para fora, como se acabassem de ser recebidos.
Só que, por efeito desse período de gestação profunda, alimentada ao calor do sangue e das aquisições da experiência temperada de cálcio e de ferro e de nitratos, elas aparecem já no estado adulto e prontas a procriar. Porque as memórias procriam como se fossem pessoas vivas."
AGUSTINA BESSA-LUÍS de Antes do Degelo

Movimento Nós somos Igreja

"La Iglesia son los santos, los humildes, los rectos, los que tienen fe actuosa, los jerarcas iluminados sean pocos o muchos, la inmensa masa de los que practican la doctrina de Cristo calladamente.

La Iglesia no se conoce por los vestidos colorados; es más difícil de conocer que eso."

Isto é,  nós somos Igreja : a Igreja não é a hierarquia, a parafrenália dogmático-doutrinária ou o pietismo serôdio mas as vidas concretas dos que são cristãos.

Um texto bastante progressista, aqui postado com o inestimável contributo do senhor sarto que, de vez em quando, descobre estas pérolas.

As alegrias do casamento heterossexual

È Verão. A matança continua.

Estão verdes...

Quando  gays assumidos passam grande parte do seu tempo livre obcecados, a vociferar contra o casamento homossexual, não posso deixar de pensar que a sua grande mágoa é de ainda não terem encontrado noivo...

Por isso os incomoda tanto a felicidade alheia.

terça-feira, agosto 03, 2010

Pinturas

A coisa mais irritante das grandes obras de arte é serem vistas a correr, entre chusmas de turistas.
Por isso gosto de museus calmos - daqueles enormes e quase vazios de tanto espaço para circular, onde crianças pequenas se sentam no chão em círculos em frente aos quadros, com jovens professoras de sardas a explicarem-lhes pacientemente as cores, texturas, enquadramento histórico.
Foi assim que vi tropecei no Van Gog, no Dali e no Klimt em vários lugares, em museus destes.
Um dos meus quadros preferidos continua a ser o céu estrelado sob os ciprestes, pintado em Auverssur-Oise em Junho de  1890.
Consta que Van Gog esperou vários meses à procura do céu perfeito e só depois de um longo  periodo no hospício após ter cortado a própria orelha, conseguiu esse quadro perfeito.

Adivinha-se um Novo grupo no Facebook

Deixem casar os tridentes... coitaditos.
Não os deixam casar, pobrezinhos, têm de abalar para França, a salto,  com uma malita de cartão, sob pena de serem forçados a viver em concubinato adúltero. Percebe-se porquê - a celebração ordinária do matrimónio não é sequer válida -  é aliás herética e maçónica.
Depois, há pelos menos duas ou três expressões em latim cuja prática erudita se revela  completamente indispensável à felicidade conjugal.
Deve ser por isso que os tridentes e   acólitas se excitam /comovem com tão romântica intenção matrimonial.

E se calhar é por isso mesmo que os senhores Bispos Portugueses, bastante conservadores, se mostram tão relutantes a certas latinices.

Bridge Over Troubled Water



Queria ir a Nova Iorque por causa desta música velhinha, que se tornou o meu lema em fins da adolescência..
E três anos depois da primeira vez de a ter escutado, por causa desta música,  lá estava eu, sentada em Central Park e a pensar como os risos eram todos possíveis.

Still Crazy After All These Years

De iuris

"Na longa vida de magistrado, o PGR nunca conheceu um despacho igual, nem tem memória de alguém lho referir."
"É imperioso que se diga que modelo se deseja para o País: se um sistema em que o Sindicato quer substituir as instituições ou um Ministério Público responsável. É preciso que sem hesitações se reconheça que o Sindicato dos Magistrados do Ministério Público é um mero lobby de interesses pessoais que pretende actuar como um pequeno partido político."

Adoro agosto

Quando as putas místicas estão de férias e impedidas de teclar,  a blogosfera melhora, rebrilha mesmo.

Perguntas sérias sobre O PROCESSO

Se ouvir o primeiro-ministro no âmbito do chamado processo Freeport era considerada uma diligência essencial, por que razão nem a PJ nem depois os dois procuradores titulares do processo o fizeram nos quase seis anos que durou o inquérito?


Porque esperaram pelo fim das investigações para o dizer?

E se consideravam imprescindível inquirir José Sócrates e realizar outras diligências, então por que motivo não pediram a prorrogação do prazo do inquérito, como acontece em tantos outros casos?
 
Aqui

Pergunta ingénua

È impressão minha ou o esboroar do Estado de Direito, expresso em processos Kafkianos de perseguição político-mediática e pela total falta de sentido éticojurídico de alguma parte da magistratura, tem alguma coisa a ver com a falta de formação de base dos juristas em geral, e dos magistrados em particular?
"Um camionista de 41 anos agrediu na via pública a mulher e um agente da PSP que tentava por cobro à violência. O indivíduo foi detido e levado ao Tribunal de Caldas da Rainha. A procuradora do Ministério Público pô-lo em liberdade e agressor voltou à casa da mulher."

31281175 wmv



O Estado de Direito ameaçado.

Tridentes

Os tridentes são como os submarinos. Bem lá no fundo, bem muito lá no fundo  até são capazes de ser boas pessoas.

segunda-feira, agosto 02, 2010

Sábia loucura

"Quando um dos médicos que o tratavam, Donato Garilbaldi, lhe disse que a polícia já o identificara e que ele era Michel Doumesche, um matemático francês, ele respondeu: "Não sou eu, não é esse o meu nome. Dizem que sou francês, mas não o sou. Chamo-me Piaget. Don Miguel Piaget", nome que escreveu num papel numa atitude alegadamente desesperada para convencer que o que dizia era verdade".
Aqui

Pós modernidade

As colegas da Lady Gaga.

à beira da piscina

"Caminho ao longo de um axónio imaginário, prolongamento celular nervoso que nasce do corpo neuronal e se espraia até à enseada da sua ligação, ou sinapse, com o neurónio a quem passa o testemunho de uma mensagem que flui. Flui como uma onda salina de potássio e sódio, propulsionada por uma acção potencial de natureza electroquímica. A passagem de testemunho tem cambiantes químicos que modelam a mensagem com neurotransmissores específicos: serotonina e noradrenalina associadas ao “humor”; dopamina ao controlo motor; acetilcolina à aprendizagem e memória; ácido gama-aminobutírico à inibição; glutamato e aspartato à estimulação; et cetera.
A vaga neurotransmissora banha o neurónio pós-sináptico, passo seguinte, e uma nova onda se espoleta e conflui com milhares de outras vindas de tantos outros neurónios, numa raiz dendrítica que encorpa no integrante corpo celular.E assim, de sinapse em sinapse, passo a passo, a mensagem faz o seu caminho e a via neuronal se estabelece, consequente, numa acção causal de efeitos complexos ainda pouco estabelecidos, porque muitos são os caminhos e muitas as suas intercomunicações em rede.
Constelações neuronais em estruturas cerebrais específicas, delineiam caminhos e destinos ainda por identificar e relacionar com acções e sensações, com pensamentos e palavras. Alguns peregrinos, como Xim Jin e Rui M. Costa, encontraram em faróis banhados por vagas dopaminérgicas, os contornos iniciais e finais de gestos sequenciais (aqui).
Outros peregrinos, como Vivien Chevaleyre e Steven A. Siegelbaum, percorreram os caminhos definidos por diferentes tipos de neurónios piramidais que se alinham no hipocampo e que se sabiam estarem envolvidos, de alguma forma, no estabelecimento de uma memória espacial essencial à repetição do gesto (aqui). Especificamente, identificaram que neurónios piramidais, do tipo CA2, desempenham um papel que inverte a força das vagas no palco sináptico: “dão” mais ímpeto às mensagens longínquas vindas do córtex e “abafam” as dos seus vizinhos piramidais do tipo CA3, neurónios também do hipocampo."

Um texto do António Piedade lembrado com as conversas no Trento

Um vento neonazi sopra

Em França, delinquência e imigração são palavras que se associam livremente em discursos políticos e legislação concreta. As políticas contra os ciganos e nómadas e a promessa de destruição, nos próximos três meses, de metade dos seus acampamentos e respectiva expulsão dos e das indesejáveis está na ordem do dia.
Nos EUA abriu a caça aos imigrantes.
Cá pelo  burgo são as milícias populares contra os ciganos a pretexto do roubo de alfarroba.

Eu sempre achei os tridentes um bando de salazarentos neonazis

Cá estão - as missinhas tridente em saudade  de salazar.

Eu sempre achei que o problema dos aficcionados da tourada é falta de bom sexo

E fiquei esclarecida ao ler este post e este post

O controlo sobre o corpo das mulheres

Tem várias formas. O casamento forçado com fins procriativos e de escravatura é uma delas.
A punição exemplar para as que tentam fugir a esse destino, outra.
O crime de Aisha foi fugir de casa dos sogros onde vivia aprisionada num casamento de abusos.



Mas não se pense que estes são costumes islãmicos.
 Por cá, a bárbárie contra as mulheres continua. Sem que tal horror faça estremecer os dos costume. Afinal, estamos no verão - abriu a caça.

A blogosfera fica mais limpa

Uma boa notícia.